“A praia que canta” – Zadar, Croácia.

instalação zadar croacia orgao do mar
Sobre lugares mágicos humanamente criados: A praia de Zadar, na Croácia foi transformada pelo arquiteto Nicola Basic, que, com a ajuda de um músico e de um engenheiro hidráulico, projetaram o Sea Organ, em 2005: Um órgão gigante nas escadarias da praia, tocado pela força do vento sobre as águas.
Durante a noite, a energia solar e a captada pelo “órgão do mar”, produzem um espetáculo de luzes e cores na instalação conhecida como “saudação ao sol”.

Oscar 2013 – Nossas Impressões

A 85ª cerimônia de entrega dos Oscars foi previsível. Lincoln que havia sido indicado em doze categorias foi vitorioso em apenas duas delas, levou a estatueta de design de produção (ainda não entendi o porquê) e é claro Daniel Day-Lewis foi consagrado como melhor ator e se tornou o único com três vitórias nesta categoria.

Em termos de número de estatuetas As Aventuras de Pi saiu na frente e ficou com quatro, dentre elas a de melhor diretor, na única categoria que de fato não se tinha uma certeza sobre quem seria o vencedor, pois como Ben Affleck foi esnobado mesmo tendo sido o destaque de outras premiações, as possibilidades de vitória de todos os concorrentes eram grandes.

A noite foi mesmo de Argo, que faturou as estatuetas de melhor edição, roteiro adaptado e o cobiçado título de melhor filme, categoria que foi apresentada por Jack Nilchoson e Michele Obama (Lembram de Bill Clinton no Globo de Ouro? Pois é, será que rolou alguma inveja?).Tarantino confirmou o favoritismo na categoria de melhor roteiro original e ainda comemorou a vitória de Christoph Waltz.

O anfitrião da noite Seth MacFarlane começou bem, mas ao longo da premiação foi ficando cada vez mais morno e sem graça. Ted no palco fez aquilo que já era esperado com o mesmo humor infame e sexista do filme do qual saiu e pelo bem de todos deveria ter continuado lá.

No quesito homenagens o Oscar deixou a desejar, o singelo tributo aos 50 anos de 007 só não foi mais fraco que a ideia de prestar honrarias aos musicais dos últimos dez anos. Continuo sem entender isso, ora o período áureo dos musicais foi na década de 60, por que homenagear os musicais dos anos 2000 quando estes sequer somam meia dezena?

A única coisa que não faltou mesmo na festa foi glamour, enquanto a moda falar mais alto que os próprios filmes ficará difícil para a Academia provar que o Oscar é uma festa para celebrar o que há de melhor no cinema.

Veja agora algumas imagens que marcaram a premiação:

A apresentação envolvendo todo o elenco de Os Miseráveis

A animação desta vez ficou por conta de Joaquin Phoenix

A apresentação de Adele

Hi-5

A queda de Jennifer Lawrence

Kristen Stewart e suas muletas

Todo o carisma e graça da pequena Quvenzhané Wallis

Um exemplo do “humor” de Seth MacFarlane

Ted

Confira os vencedores

Filme
“Indomável sonhadora”
“O lado bom da vida”
“A hora mais escura”
“Lincoln”
“Os miseráveis”
“As aventuras de Pi”
“Amor”
“Django livre”
“Argo”

Diretor
Michael Haneke (“Amor”)
Benh Zeitlin (“Indomável sonhadora”)
Ang Lee (“As aventuras de Pi”)
Steven Spielberg (“Lincoln”)
David O. Russell (“O lado bom da vida”)

Ator

Daniel Day-Lewis (“Lincoln”)
Denzel Washington (“Voo”)
Hugh Jackman (“Os miseráveis”)
Bradley Cooper (“O lado bom da vida”)
Joaquin Phoenix (“O mestre”)

Atriz
Naomi Watts (“O impossível”)
Jessica Chastain (“A hora mais escura”)
Jennifer Lawrence (“O lado bom da vida”)
Emmanuelle Riva (“Amor”)
Quvenzhané Wallis (“Indomável sonhadora”)

Ator coadjuvante
Alan Arkin (“Argo”)
Christoph Waltz (“Django livre”)
Philip Seymour-Hoffman (“O mestre”)
Robert De Niro (“O lado bom da vida”)
Tommy Lee Jones (“Lincoln”)

Atriz coadjuvante
Amy Adams (“O mestre”)
Anne Hathaway (“Os miseráveis”)
Helen Hunt (“The sessions”)
Jacki Weaver (“O lado bom da vida”)
Sally Field (“Lincoln”)

Roteiro original
Michael Haneke (“Amor”)
Quentin Tarantino (“Django livre”)
John Gatins (“Voo”)
Wes Anderson e Roman Coppola (“Moonrise kingdom”)
Mark Boal (“A hora mais escura”)

Roteiro adaptado
Chris Terrio (“Argo”)
Lucy Alibar e Benh Zeitlin (“Indomável sonhadora”)
David Magee (“As aventuras de Pi”)
Tony Kushner (“Lincoln”)
David O. Russell (“O lado bom da vida”)
Filme estrangeiro
“Amor” (Áustria)
“Kon-tiki” (Noruega)
“O amante da rainha” (Dinamarca)
“No” (Chile)
“War witch” (Canadá)

Animação
“Detona Ralph”
“Frankenweenie”
“ParaNorman”
“Piratas pirados!”
“Valente”

Curta-metragem de animação
“Adam and dog”
“Fresh guacamole”
“Head over heels”
“Maggie Simpson in ‘The Longest Daycare'”
“Paperman”

Edição
“Argo”
“As aventuras de Pi”
“A hora mais escura”
“O lado bom da vida”
“Lincoln”

Fotografia
“007 – Operação Skyfall”
“Anna Karenina”
“As aventuras de Pi”
“Django livre”
“Lincoln”

Efeitos visuais
“As aventuras de Pi”
“Branca de Neve e o caçador”
“O hobbit: Uma jornada inesperada”
“Prometheus”
“Os Vingadores”

Figurino
“Anna Karenina”
“Branca de Neve e o caçador”
“Espelho, espelho meu”
“Lincoln”
“Os miseráveis”

Maquiagem e cabelo
“Hitchcock”
“O hobbit: Uma jornada inesperada”
“Os miseráveis”

Canção original
“Before my time”, de “Chasing ice” – J. Ralph (música e letra)
“Everybody needs a best friend”, de “Ted” – Walter Murphy (música) e Seth MacFarlane (letra)
“Pi’s lullaby”, de “As aventuras de Pi” – Mychael Danna (música) e Bombay Jayashri (letra)
“Skyfall”, de “007 – Operação Skyfall” – Adele (música e letra)
“Suddenly”, de “Os miseráveis” – Claude-Michel Schönberg (música), Herbert Kretzmer (letra) e Alain Boublil (letra)

Trilha sonora original
Dario Marianelli (“Anna Karenina”)
Alexandre Desplat (“Argo”)
Mychael Danna (“As aventuras de Pi”)
John Williams (“Lincoln”)
Thomas Newman (“007 – Operação Skyfall”)

Mixagem de som
“007 – Operação Skyfall”
“As aventuras de Pi”
“Argo”
“Lincoln”
“Os miseráveis”

Edição de som
“007 – Operação Skyfall”
“Argo”
“As aventuras de Pi”
“A hora mais escura”
“Django livre”

Design de produção
“Anna Karenina”
“As aventuras de Pi”
“O hobbit: Uma jornada inesperada”
“Os miseráveis”
“Lincoln”

Melhor curta-metragem
“Asad”
“Buzkashi boys”
“Curfew”
“Death of a shadow (doos van een schaduw)”
“Henry”

Documentário em longa-metragem
“5 broken cameras”
“The gatekeepers”
“How to survive a plague”
“The invisible war”
“Searching for Sugar Man”

Documentário em curta-metragem
“Inocente”
“Kings point”
“Mondays at Racine”
“Open heart”
“Redemption”

Oscar 2013 – Melhor Canção Original

20479164

Nos últimos anos a Academia tem se preocupado cada vez mais com a queda da audiência do Oscar, o que implica em uma diminuição na quantidade de anunciantes e, consequentemente, na arrecadação da festa. Várias tentativas já foram feitas para atrair o público, desde alterações no tradicional script da cerimônia até a convocação de anfitriões com um maior apelo entre os jovens e as indicações de filmes campeões de bilheteria.

Neste ano o grande atrativo do evento, principalmente no quesito musical, será a performance de Adele, vale frisar que é primeira vez que ela cantará ao vivo a sua Skyfall . Tudo isso, é claro, pesa a favor da vitória da inglesa, mas será que ela levará mesmo o Oscar? Na dúvida, confira aqui no THC a análise dos indicados a Melhor Canção Original.

“Before my time”, de “Chasing ice” – J. Ralph (música e letra)

A balada segue a trilha da sua predecessora e vitoriosa I Need To Wake Up, mas ao contrário da música de “Uma verdade Inconveniente”, Before My Time não possui tanto apelo junto ao público, nem mesmo a performance de Scarlett Johansson parece se destacar entre os seus concorrentes.

“Suddenly”, de “Os miseráveis” – Claude-Michel Schönberg (música), Herbert Kretzmer (letra) e Alain Boublil (letra)

Todo mundo sabe que Os Miseráveis é uma musical e é lógico que se não tivesse ao menos uma música entre os indicados isso já seria uma vergonha tremenda. Por mais improvável que possa parecer, os musicais não têm tido um bom desempenho na premiação. A Academia já deixou de mãos abanando filmes como O Fantasma da Ópera, Dreamgirls e Nine. Outro fator que pesa contra a música de Hugh Jackman é que  apesar ser a única canção que não estava originalmente no musical que inspirou o filme, ela não é um dos maiores destaques da película (como esquecer ‘I Dreamed a Dream” na voz e atuação de Anne Hathaway?)

“Skyfall”, de “007 – Operação Skyfall” – Adele (música e letra)

Adele é uma das poucas cantoras que consegue juntar carisma, talento e performances inspiradas. A inglesa está a frente de um dos melhores temas de 007, em um dos períodos mais especiais da franquia que completa 50 anos e será agraciada com um homenagem especial durante a cerimônia de entrega dos Oscars. Muitos pontos positivos pesam a favor da canção que deve sair vitoriosa, a única dúvida que fica é a seguinte: será que Adele vai repetir a cara de “surpresa”  que fez no Globo de Ouro quando foi a ganhadora?

“Everybody needs a best friend”, de “Ted” – Walter Murphy (música) e Seth MacFarlane (letra)

É evidente que Ted fez sucesso e deve ter despertado algum interesse entre os membros da Academia que convocaram o seu criador Seth MacFarlane para ser o anfitrião da festa. Olhando um pouco para o histórico recente dos premiados na categoria, é possível identificar pelo menos dois ganhadores do Oscar (“Man or a Muppet” de The Muppets e “We Belong Together” de Toy Story 3,)  que envolviam pelúcias e coisinhas fofas, porém nenhum deles tinha a classificação indicativa para maiores de 16. Se você está se perguntando porque a música foi indicada, somos dois.

“Pi’s lullaby”, de “As aventuras de Pi” – Mychael Danna (música) e Bombay Jayashri (letra)

O multiculturalismo é uma das bandeiras defendidas pelos votantes do Oscar, por isso não raro vemos a presença de algumas películas ou músicas de outros países, mesmo assim, até hoje apenas três vencedores desta categoria foram canções que não tinha o inglês como idioma original. Mais recentemente, em 2007, a música, também indiana, Jai Ho  de “Quem quer ser um milionário?”  foi a vencedora.

E você, já elegeu a sua música preferida?

Crie uma capa de vinil para sua música favorita

Descoberta ótima pros momentos de ócio: o Studio 24 é uma plataforma que permite que seus usuários escolham fotos de sua conta no instagram para ilustrar uma faixa musical. Vou confessar que eu sempre escolhi trilhas mentais pras fotos que tirava. Sempre achei que o som aliado a  imagens ajudava a compor todo um clima, cenário, e meio que contar uma estória sobre aquela fotografia, sabe como? Então, por lá você pode pesquisar também as imagens que outros usuários criaram para a música escolhida por você, e no final de tudo, dá pra compartilhar suas criações com os amigos no facebook. Gostou? Então dá uma olhada em algumas imagens que ilustram canções no Studio 24:

choose your favorite instagram picture and give it a song title instagram e música fotos do instagram com titulos de músicas studio 24
Ah, eu também criei as minhas (cliquem na imagem para ouvir no youtube a música escolhida):

studio 24 Summertime clothes - animal collective

Além de tudo as fotos ficam super bonitas depois de editadas com essa cara de capa de vinil, né?

Globo de Ouro – Melhor Canção Original

A música exerce um papel fundamental nos filmes, ela ajuda a definir o ritmo da cena, funciona como uma boa ferramenta de divulgação e além, é claro, de ser uma das principais lembranças que o espectador leva após o fim da sessão. O Globo de Ouro tem a tradição de manter entre os seus indicados cantores mainstream reforçando a tendência pop do evento, não é a toa que ano passado a estatueta de melhor canção original ficou com Madonna (como assim?) por “Masterpiece” composta para W.E.

Um detalhe curioso é que nos últimos 8 anos, de todos os ganhadores dessa categoria, excluindo “Crazy Heart’s” e “The Weary Kind”, nenhum deles sequer recebeu alguma indicação ao Oscar. Entre os indicados deste ano, a disputa deve ser mais acirrada para as cantoras Adele e Taylor Swift. Sem mais delongas vamos aos indicados!

For you — Ato de Coragem (Música de: Monty Powell, Keith Urban e Letra de: Monty Powell, Keith Urban)

Uma música extremamente patriótica, que vangloria a bravura dos soldados americanos em trechos como: And I wonder, would I give my life?/Could I make that sacrifice?/If it came down to it, could I take the bullet, I would./Yes I would for you; ao mesmo tempo em que fala das famílias dos militares: Maybe you don’t understand/I don’t understand it all myself./But there’s a brother on my left and another on my right./And in his pocket just like mine, he’s got a photograph./And they’re waiting for him back home.

 

Not running anymore — Amigos Inseparáveis (Música de: Jon Bon Jovi e Letra de: Jon Bon Jovi)

O Bon Jovi, que já ganhou um Globo de Ouro por “Blaze Of Glory” de Jovens Demais para Morrer (Young Guns II, 1990), apresenta uma música mediana (sem graça), que fala do fim da vida e do amor: You ask about my conscience/And I offer you my soul/You ask If I’ll grow to be a wise man/Well I ask if I’ll grow old/You ask me if I known love/And what it’s like to sing songs in the rain/Well,I’ve seen love come/And I’ve seen it shot down/I’ve seen it die in vain.

Safe & Sound — Jogos Vorazes (Música de: Taylor Swift, John Paul White, Joy Williams, T Bone Burnett e Letra de: Taylor Swift, John Paul White, Joy Williams, T Bone Burnett)

Queridinha dos adolescentes, a cantora Taylor Swift se juntou ao Civil Wars e compôs “Safe & Sound” para o filme Jogos Vorazes.A música melodramática apresenta trechos como: I remember tears streaming/down your face/When I said, I’ll never let you go/When all those shadows almost killed your light/I remember you said, Don’t leave me here alone/But all that’s dead and gone and passed tonight.O apelo da intérprete e do filme junto ao grande público teen pode contribuir para que a canção saia vitoriosa na cerimônia de domingo.

 Skyfall —007 – Operação Skyfall (Música de: Adele, Paul Epworth e Letra de: Adele, Paul Epworth)

Ninguém duvida do talento de Adele, que acertou em cheio no novo tema de 007 que relembra saudosamente alguns clássicos da franquia que completa 50 anos de história. A música evoca o fim: This is the end/Hold your breath and count to tem/Feel the Earth move and then/Hear my heart burst again; a origem e os amores de James Bond: Skyfall is where we start/A thousand miles and poles apart/Where worlds collide and days are dark/You may have my number/You can take my name/But you’ll never have my heart. Uma canção bem composta que casa perfeitamente com a trama. Adele exala sensualidade, glamour e mistério em uma interpretação tal qual as famosas Bond girls.

Suddenly — Os Miseráveis (Música de: Claude-Michel Schonberg e Letra de: Herbert Kretzmer, Alain Boublil)

A única música derivada de um musical, “Suddenly” testa os dotes vocais de Hugh Jackman e apresenta um bom resultado carregado de interpretação na qual Jean Valjean canta sobre a descoberta do amor paternal por Cosette. Uma boa canção que perde o seu brilho em meio a tantas músicas de astros pop, e consequentemente, não aparenta ter grandes chances na disputa pelo Globo de Ouro, talvez consiga ao menos uma nomeação ao Oscar.

Apresentados os indicados agora só nos resta esperar pelo grande dia. Aqui no THC nós elegemos Skyfall como nossa preferida e vocês?

Vício musical do dia: Sóley ♥

soley

Fazia tempo que indicações musicais não apareciam por aqui, é que em meio a tantas descobertas literárias e cinematográficas (obrigada 2012!), a minha disposição para descobrir novas bandas ficou meio reduzida, mas acredito que isso tenha mudado desde que conheci a música de Sóley, dessas descobertas incríveis e aleatórias que a internet nos proporciona de vez em quando…

De música linda e mágica parece viver a Islândia: Vinda de Reykjavik, Sóley Stefánsdóttir é multi-instrumentista e integrante da banda indie Seabear, descrita por alguns como uma mistura entre Sufjan Stevens e Arcade Fire. Eis que em 2010, a artista resolveu seguir carreira solo, lançando o EP “Theater Island” , seguido pelo disco “We Sink”, de 2011.  Não sou muito boa para falar sobre música, mas posso dizer que as músicas de Sóley me aproximam muito de uma atmosfera de sonho. E para vivenciar essa experiência, recomendo começar ouvindo e assistindo o lindo vídeo de Smashed Birds:


Pretty face
foi meu primeiro contato com as composições da islandesa, e foi o bastante para transformar a artista em meu novo vício musical. Olha só que música mais delicinha:

I’ll Drown ♥:

E pra finalizar,  para quem quiser conhecer Seabear, fica a dica:

(SUPER) Lindeza do dia: Lorenzo Papace ♥

Já estava mais do que na hora de mostrar por aqui o trabalho do artista francês, Lorenzo Papace músico, compositor, designer gráfico e diretor – (ufa!). O problema era como sintetizar tudo o que eu tinha a falar/mostrar, tendo em vista que eu me encantei com basicamente tudo! Mas deixa eu explicar: Há uns meses atrás vi um Stop motion todo feito em papel de uma banda, até então, desconhecida. Era o clipe de Østersøen, da banda Ödland. Vale muito a pena assistir:

#16. Østersøen (Ödland, Sankta Lucia) from Lorenzo Papace on Vimeo.

Lindo, não é? O clipe foi produzido por Lorenzo Papace em parceria com o ilustrador Vincent Pianina. Como eu adoro um “behind the scenes“, dei uma pesquisada e (felizmente) encontrei um Flickr que mostrava etapas da produção do vídeo. Imagine aí todo o trabalho por trás dessas esculturas de papel:

E, foi então que descobri que era Lorenzo o artista multitalentoso responsável também por outros vídeos da banda (Ödland), da qual ele é integrante. Amo a estética em todos os vídeos produzidos por ele e estou curtindo muito as músicas também.

#07. La Grèce et moi (Ödland, Sankta Lucia) from Lorenzo Papace on Vimeo.

Vício. Essa música ficou grudada na minha cabeça durante dias e dias.

E tem mais um monte de vídeos lindos com musiquinhas gostosas. Juro que fica difícil escolher.

#08. Les dieux sont partis (Ödland, Sankta Lucia) from Lorenzo Papace on Vimeo.

Ah! E como já era de se esperar pelas imagens capturadas para os vídeos, Lorenzo é também um fotógrafo incrível. E é com as fotografias dele que eu encerro o post de hoje.