Lindeza do dia: Elena, o filme.

Acabou hoje aqui em Parnaíba (PI), a Semana do Audiovisual (SEDA), promovida pelo Coletivo Porto Salgado em parceria com o Fora do Eixo. Em três dias de programações – dentre exibições de curtas, discussões acerca do cinema independente, oficinas de fotografia e intervenções teatrais – o longa autobiográfico, dirigido por Petra Costa, foi algo que me marcou profundamente – tanto pela sensibilidade da atriz e diretora ao expor a história de sua irmã, e a sua própria  –  quanto pela beleza absurda da fotografia do filme.

ELENA, o filmeTendo como ponto de partida o diário da irmã mais velha, Petra utiliza-se da arte para sublimar a dor e contar através de relatos e filmagens de arquivos pessoais, a história de sua família, que fora acometida por uma terrível fatalidade por volta dos anos 90.

Elena é um filme lindo, corajoso, sensível, verdadeiro, profundo e apaixonante. Talvez, por contar uma história real, as personagens não precisem de muito para manter o espectador completamente envolvido na história. Foi o que aconteceu comigo: a empatia com as personagens foi imediata e em poucos minutos já não havia mais volta: lá estava eu, apaixonada por Elena, dividindo suas mesmas paixões e nutrindo o mesmo amor intenso pela sua arte. Após a exibição, foram gravados depoimentos do público, mas eu não estava mais lá, fui procurar um lugar tranquilo para desatar o nó na garganta que tinha se formado durante os primeiros minutos de filme.

elena

Agradeço muito a todos que uniram forças para que um evento como a SEDA pudesse acontecer numa cidade ainda tão carente de ações interessantes como Parnaíba, e gostaria também de recomendar muito a quem tiver a oportunidade, que não deixe de conferir Elena, garanto que é de doer de tão lindo. ♥

SINOPSE:
Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

3 Comments

  1. Quero muito assistir *-*

  2. Está na minha listinha de filmes para assistir!

  3. Quero muito ver esse filme, mas tá difícil, tem uma história tocante e muito bonita, é muito amor esse trabalho da Petra ♥

    Beijos

Deixe uma resposta